quinta-feira, 19 de junho de 2014

Portal Infocursos: informação relevante para escolher o curso superior


O Ministério da Educação e Ciência (MEC) apresentou hoje o Portal Infocursos, uma plataforma online que permite aos candidatos ao ensino superior terem acesso a informação relevante para escolherem melhor a formação superior, depois de terminado o ensino secundário.

Este Portal reúne informação sobre todos os cursos de licenciatura ou mestrado integrado ministrados em Portugal e oficialmente registados na Direcção-geral do Ensino Superior em 31 de Dezembro de 2013.

Escolhido um curso, apresenta os dados do curso, em termos do concurso nacional de acesso ao ensino superior, e reúne nas estatísticas dos cursos vários indicadores estatísticos desse curso, como sejam:

  • a distribuição dos estudantes consoante as vias de ingresso no curso;

  • o percentil médio dos estudantes à entrada do curso, em termos de notas nas provas de ingresso.
    Por exemplo, a nota de um aluno situa-se no percentil 80, se estiver no limiar entre as 80% notas mais baixas e as 20% notas mais altas na prova.
    Se o curso A tem o percentil (médio) 70, então os alunos que entraram para esse curso pelo Concurso Nacional de Acesso obtiveram uma nota (média) nas provas de ingresso superior a 70% dos candidatos que realizaram as mesmas provas e entraram no ensino superior por esse concurso.

  • as taxas de abandono, transferência e continuidade dos alunos no curso 1 ano após a sua primeira matrícula;
  • a distribuição dos alunos por sexo e idades;
  • a distribuição das classificações finais à saída do curso;

  • a taxa de desemprego registado no IEFP para cada curso, ou seja, a razão entre o número de inscritos como desempregados e o número de diplomados entre os anos lectivos 2006/07 e 2011/12, nesse curso.

O Portal Infocursos tem por objectivo uma maior transparência em matéria de oferta formativa de nível superior, para permitir uma escolha informada por parte dos candidatos ao ensino superior.
Com mais e melhor informação, é possível um melhor alinhamento entre as expectativas dos estudantes e a sua futura realidade académica e profissional, com benefícios para os candidatos, para a sociedade e para a nossa economia”, conclui o comunicado do MEC.

Além das estatísticas dos cursos do ensino superior, o portal também permite conhecer as estatísticas nacionais. O campo das estatísticas nacionais mostra, por exemplo, que 8% dos licenciados ou mestres diplomados entre 2007-2012 no ensino público estavam desempregados, enquanto 9,5% dos diplomados no ensino privado estavam registados no IEFP, em 31 de Dezembro de 2013.

*

Na cerimónia de apresentação do portal, o ministro Nuno Crato recordou que o programa do Governo previa “uma melhoria dos mecanismos de informação sobre a empregabilidade dos cursos” e salientou que o portal também ajudará as instituições a “melhorar”, a compararem-se “umas com as outras e com as metas que estabeleceram para si próprias”.

Questionado sobre se estes dados podiam servir para a tutela encerrar mais cursos com poucos alunos, o secretário de Estado do Ensino Superior voltou a defender que é necessário satisfazer as necessidades “dos jovens, da sociedade e do mercado de trabalho”:
E temos de o fazer de uma maneira eficiente, não podemos alimentar desperdício. Seguramente que um curso que recebe um número muito pequeno de alunos, não vai ter qualidade, não há competição interna naquela micro sociedade que se estabelece com cinco ou dez alunos. E vai ter um custo unitário muito alto”, disse José Ferreira Gomes, explicando que a via será “discutir” e “acordar” com as instituições de ensino superior a oferta educativa de cada região.


Sem comentários:

Publicar um comentário