terça-feira, 18 de janeiro de 2011

A pedincha continua...



... e as mentiras também. O país caiu nas mãos de um mentiroso compulsivo:


16 Jan


O primeiro-ministro José Sócrates garante que a possibilidade de venda da dívida portuguesa ao Qatar, que tem um dos maiores fundos soberanos do mundo, não foi discutida:
"Não discutimos [a dívida], discutimos as oportunidades de investimento do Qatar em Portugal e a presença das empresas portuguesas [neste país]."


Carlos Morais. 16.01.2011 12:49 Via Facebook
O costume
Na linha tradicional do contrário do que afirma, no embuste e mentira que são uma característica da sua personalidade, eu não acredito. Por isso, para mim, Sócrates falou (pediu) mesmo no Qatar para a compra da dívida portuguesa. E assim vai continuar.
Não tem este governo uma linha definidora para resolver os problemas nem para lutar no sentido de sair da crise aguda em que nos encontramos. Agora a política, em termos actuantes, é pedir, pedir dinheiro em todo o lado. Ainda resta a Sócrates uma pequena chance: o prestígio que o nosso país possui, por esse mundo fora, mercê do seu passado e da sua história. Já não é como antes, mas ainda somos prestigiados e reconhecidos. Não graças a Sócrates, nem aos políticos de agora e de passado recente.
Sobre o artigo, para mim é o contrário do que ele afirma. É o seu género. É o costume!


18 Jan


O primeiro-ministro José Sócrates confirmou que Teixeira dos Santos teve hoje de manhã reuniões com os responsáveis do principal fundo soberano do Abu Dhabi.


Jutland, Abrantes Portugal. 18.01.2011 15:10
Comprar dívida!
Mário Soares andava pelo estrangeiro de mão estendida na procura de financiadores. Agora o discurso é dizer-se que a China, Timor, Angola, etc. compram dívida portuguesa. Quantos portugueses compreendem esta linguagem?
O Estrangeiro interessa-se por Portugal por isso compra. Eles compram mas Portugal, vendedor, é nessa condição quem paga. O estrangeiro subscreve obrigações do tesouro que têm um vencimento e nessa data o tesouro português reembolsa, devolve os fundos e paga os juros a taxas na ordem dos 7%.
Por que não se promove o ajuste da taxa de juro dos Certificados de Aforro para valor apelativo para os aforradores portugueses? Estes compram e os juros ficam nas mãos de portugueses. Evita-se a saída de capitais.
Os bancos, há pois é! Transferência de poupanças da banca para o Tesouro Português. Lá vinha a falta de liquidez e crise na banca. Gerir o dinheiro e os interesses à sua volta não é coisa fácil. Boa tarde.
  • Observador, ao largo da RATARIA. 18.01.2011
    RE: Comprar dívida!
    Essa é fácil, eu respondo-te: não sobem os juros dos Certificados porque os sucateiros dos bancos faliam logo a seguir.
    De facto é triste que se ande a vender o País quando, por exemplo, em Itália (com grande dívida, mas "em casa") a maior parte da dívida contraída é dívida doméstica, que fica no próprio país; o mesmo no Japão, etc.
    Por cá os vigaristas do partido sucateiro preferem, quais traidores de Argel, pagar 7% aos estrangeiros do que 1% aos portugueses! É o espelho do que trafulhas conseguem fazer.
    • Jutland, Abrantes Portugal. 18.01.2011
      RE: RE: Comprar dívida!
      Faz a mesma leitura por outras palavras.
      Aos compradores estrangeiros dá um jeitão a crise portuguesa a 7%. Onde encontram melhor remuneração para suas economias? Portanto os portugueses que se cuidem porque amigos assim são amigos da onça — Sócrates e Teixeira dos Santos não sabem! Ainda se os fundos fossem para aplicar em meios de produção/investimento.
      O barco está à deriva.
      Empréstimos novos para pagar empréstimos a vencer/resgatar. Não valorizar as taxas dos C.A. é não querer fazer concorrência à banca. Não tem mal, quando for preciso fazem-se mais uns cortes, por exemplo nos abonos de família, as crianças inocentes nem dão por isso.
      Cavaco andou 5 (cinco) anos a poupar energias e a acumular experiência e conhecimento. Quando, e se, for reeleito, vai finalmente tomar conta dos desígnios deste tão mal tratado povo. Alguém acredita? Más recordações desde os tempos da sua governação absoluta. Nunca mais.
      Posso estar enganado. Alguém diga de sua justiça. Boa tarde.

Anónimo, Maia, Portugal. 18.01.2011 15:34
Abu Dhabi
Espero que o "vendedor" e a cambada tenham vendido algo... Pois uma noite no Emirates Palace Hotel custa entre 700 e 10.000 Euros.

Ilmério António, Aveiro. 18.01.2011 16:51
Chega!
Não é bota-abaixismo. É realismo: este homem não pode continuar a vender Portugal a retalho e não dar cavaco (salvo seja) ao Povo. Exijamos responsabilidades e tomada de posição à Oposição e ao PR!


Sem comentários:

Enviar um comentário